3 de abril de 2010

Parque Ecológico da Maré


O bairro Maré tem sérios problemas quando o assunto é meio ambiente, mas em meio ao grande deserto do verde se encontra um Parque Ecológico. O Parque, também conhecido na comunidade como “Mata” conserva diversas espécies numa área equivalente a 10 campos de futebol.


Segundo relatos dos moradores o Parque existe desde sempre, mas a placa acima indica  que em 2002 foi implantado um horto escola. Isto podia seguinificar mais atenção com área, mas que nada o Parque hoje vive em total abandono.


No local, além de brinquedos existe um anfiteatro em péssimo estado de conservação.


Nos fins de tarde famílias inteiras visitam o Parque, mas o péssimo estado de conservação desencoraja os visitantes.



Andando pelo Parque não se ver qualquer vestígio do poder público, até as lixeiras são improvisadas. João Cláudio de Souza, atual presidente do Parque na tentativa de minimizar os danos instalou lixeiras nos troncos das árvores.
 
Já que os governos atuais se mostram tão sensíveis as questões ambientais, a ponto de levantar muros nas cercanias de favelas argumentando ser uma preocupação com o meio ambiente. Fica aí a dica: tratem de cuidar do pouco que ainda resta do Parque Ecológico da Maré. Afinal de conta está é uma questão de preservação ambiental, e o risco que este corre é por parte das instituições públicas que o administra
 
_____________________________________________________________
Outras imagens do Parque

 
_____________________________________________________________

Um pouco da história do Parque Ecológico

O local hoje conhecido como “Parque Ecológico” ou “Mata do Pinheiro” originalmente chamava-se “Ilha do Pinheiro” ou “Ilha dos macacos”. Antes dos aterros que ocorreram na Maré nos anos 80, a ilha era um grande laboratório a céu aberto da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O Instituto de pesquisa escolheu o lugar para ser o primeiro criadouro de macacos Rhesus da América Latina. Além da criação dos macacos a Fiocruz também mantinha na parte mais alta da ilha um laboratório de hidrobiologia, com tanques de pesquisa de plânctôns e peixes.,
Da antiga ilha o que restou foi exatamente essa parte mais alta transformada em 1986 em Parque ecológico. Sua área plana hoje é ocupada pelas comunidades da Vila do João, Vila dos Pinheiros e Conjunto Pinheiro, anexadas ao continente durante o Projeto Rio de 1980 para erradicação das palafitas – moradias de madeira construídas sobre a água.

2 comentários:

Eu costumava ir ao parque com a minha mãe e minhas sobrinhas, mas paramos por conta da sujeira e falta de segurança do local. Realmente o lugar está esquecido pelo poder público, no entanto boa parte da degradação é causada pelos próprios moradores que fazem as grades do parque de varal para roupas, tapetes e o que mais acharem que devem pendurar por lá; Fora a quantidade de lixo que é jogado no por lá diariamente; Os banco foram quebrados e os tetos dos quiosques arrancados...
Aquilo precisa urgentemente de socorro e os moradores de educação.

Que pena, o lugar podia ser lindo como merecem os moradores da Maré e a cidade.
Tomara que os vizinhos dele o defendam.

Estão por aqui