17 de maio de 2011

Homem bruto


Quando nasceu recebeu nome de anjo. Achavam que o nome adocicaria seu destino.
No ofício lidou com materiais duro e sem polimento. Como escreveu a profecia tornou-se bruto ao ponto de ser confundido com concreto.

Namorou e dos namoros cultivou delicadas flores. Com o material que manipulou cultivou o aspecto de homem bruto. Formou-se assim. Aprendeu ser assim.

Foi gari, carpinteiro, lavadeira e domestica. A profissão o transformou na forma atual. Hoje não desempenha nenhuma função, apenas se mistura as pedras de uma avenida qualquer da cidade.



0 comentários:

Estão por aqui