7 de agosto de 2011

Erro “proposital” no filme Cidade de Deus

Segunda-feira, 11 de maio de 2009, 
29ª dia de oficina, Ficção com Fernando Meirelles

 “Fernando disse que não devemos ter pudores para construir uma ficção. Podemos mudar os personagens ou as cenas, se isso tornar o filme melhor. Outra coisa importante é o erro. O erro é a vida do filme, o certo é chato demais. Ainda em cidade de Deus, o Buscapé era o personagem principal, mas o Zé Pequeno rouba a cena. Esse é um exemplo de um erro proposital que funciona muito bem".
 
Trecho retirado do livro "5 vezes favela agora por nós mesmos"

1 comentários:

Os personagens são muito ricos. Não sei se controlamos os erros e acertos.Porém o livro e bom e o filme não é fácil colocar em uma hora e dar rumo interessante para a produção e desfecho dos personagem. Talvez deveríamos produzir e escrever mais ousar de vários pontos de vista. Estou fazendo a minha parte. Estou escrevendo pelo edital do MINC " Artistas Populares da Cidade de Deus Trajetórias de Mestres". Outra abordagem. Desejo mais intensivo.

Estão por aqui