3 de maio de 2012

A revolução na favela na ótica do jornal O Globo


Esta é a primeira “imagem comentada” de algumas outras mais que pretendo postar neste blog.


“Revolução na Favela” foi o título de uma matéria publicada recentemente (11 de março de 2012) no Segundo Caderno do Jornal O Globo. O texto da matéria fala de alguns artistas moradores de favelas do Rio de Janeiro. 

Se olharmos pra história da cidade do Rio de Janeiro estará lá escrito as favelas e se o assunto for arte e você que olha tiver alguma boa vontade vai constatar sem muito esforço que na favela sempre existiu indivíduos que se dedicam ou se dedicaram a alguma atividade artística, mesmo quando as condições não eram ( e não são) favoráveis. Até as coisas mais elementares (como espaço) para o desenvolvimento de atividades artísticas na favela é um problema, agora bem menos é verdade, mas o que existe na atualidade foi fruto de muito esforço de meia duzia de favelados, ou não é assim?

Os fatores para a tal “revolução” sugerida pelo jornal são: um maior acesso as tecnologias e um maior número de favelados que cada vez mais consegue chegar nas universidades. Acho que só não devemos esquecer que são quase um século e meio de existência das favelas no Rio e ao longo destas décadas os pobres urbanos foram privados de bens como a educação superior, então já estava mais do que na hora desse quadro começar a mudar. Até aqui tudo bem,  mas o que não me desce na goela é a relação (arte-cultura) com as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). Qual é a relação direta? E o que tem a ver as UPPs com as calças?

3 comentários:

Esta sempre será a visão da organização globo amigo.Para eles, o mundo se resume ao quadro das novelas, de um lado os ricos sempre bem vestidos, boa comida(frutas, queijos, sucos), roupas.Os pobres sempre de bermuda e chinelos, copos de plásticos, jarras com enfeites de frutas.Basta ver a grande família para entender a visão da globo.Parabéns pelo texto.
Caso se interesse em visualizar meu blog acesse www.estaehistória.wordpress.com
abraços.

Valeu, já fiz uma visita em sua página e voltarei lá outras vezes. Obrigado.

Caro Val também não consegui ver nenhuma relação, mas a cidade precisa de legitimação, e implementação de seus projetos, logo é muito significativo afirmar que está dando certo,mesmo que na prática esse certo é distorcido

Estão por aqui