3 de junho de 2012

A seca nordestina e os Campos de Concentrações do Estado do Ceará


Foto retirada do Blog de Valdecy Alves - Caminhada da Seca Anual em Senador Pompeu - Em memória das vítimas do Campo de Concentração da Seca de 32 O mais terrível da história das Américas - todo segundo
 domingo de novembro de cada ano.


Hoje navegando na minha lista de leitura de blogs cheguei neste bizarro episódio da história brasileira, os campos de concentrações do Estado do Ceará. Cheguei no assunto através do blog do Valdecy Alves, um advogado, ativista e blogueiro cearense. Muito se fala dos repugnantes campos de concentrações da Alemanhã Nazista, mas mesmo antes destes aqui em terras brasileira os governos da época experimentaram experiências semelhantes: segundo dados de uma matéria publicada na Revista do Brasil, edição 57, março de 2011, os três maiores campos, Cariús 28 mil pessoas, Senador Pompeu e crato chegou a receber 16 mil pessoas cada um. 

Ainda segundo a matéria da Revista Brasil, naquelas primeiras décadas do século XX chegou a ser construídos 7 campos nas proximidades de cidades do Ceará.

“Em Fortaleza havia dois, para confinar retirantes que lá já estavam. Ambos chegaram a ter 1.800 presos. Os de Crato e de Senador Pompeu receberam mais de 16 mil cada um; Quixeramobim, 4.500; Cariús, 28 mil; e Ipu, cerca de 6.500. “Os sertanejos eram atraídos por promessas de trabalho, alojamento, alimentação e serviço de saúde”, afirma Kênia Rios. Mas a multidão era concentrada em espaços precários. Tinha a cabeça raspada, usava roupas feitas com sacos de farinha e trabalhava praticamente em troca de comida”. 

Para ler o texto da matéria da Revista Brasil clique aqui

Para ler o blog de Valdecy Alves clique aqui



0 comentários:

Estão por aqui